sábado, 25 de julho de 2009

Vinho de Guarda, o que é isto?

Quanto mais velho, melhor fica o vinho?

Duas questões bem pertinentes. Vamos esclarecer um pouco:

Começando pela segunda questão: Quanto mais velho, melhor fica o vinho?

A resposta é não. A imensa maioria dos vinhos que estão disponíveis nos supermercados e lojas são vinhos "prontos" para serem bebidos imediatamente. Isto significa que durante o processo de vinificação tentou-se obter o máximo de qualidade que este vinho poderia ter.
Sendo assim, ao guardá-lo por muito tempo (alguns anos, por exemplo), provavelmente este vinho estará pior do que quando comprado. Isto se aplica especialmente aos vinhos mais simples.

Alias, vamos fazer uma pausa neste tópico e definir melhor o que é um vinho mais simples:

"Trata-se de um vinho em que todo o processo de vinificação (desde a escolha das videiras e colheita até o possível envelhecimento em barricas de carvalho) é bem menos sofisticado e depurado. Podemos dizer que é um processo mais industrializado que visa a produção de grandes quantidades com qualidade apenas razoável. São vinhos para serem bebidos sem muita pretensão e é claro normalmente são vinhos bem mais baratos. Sendo bem prático, dificilmente você vai encontrar entre vinhos típicos como os Argentinos e Chilenos que custam de R$20,00 a R$40,0 algum que possa ser considerado um grande vinho ou que ao ser guardado por muito tempo venha a ficar melhor do que já estava."

Portanto, guardar aquele seu Santa Helena por muito tempo, vai lhe proporcinar ao final de alguns anos, apenas um vinho "morto": sem sabor e sem vida. Compre-o, guarde-o somente para mantê-lo e beba-o logo. Digamos que ficar com ele na adega mais de 6 meses já é um exagero.

Por outro lado, vinhos mais "complexos" são vinhos que foram produzidos com muito mais esmero (a colheita, por exemplo foi feita manualmente para que nenhuma uva fique machucada e comprometa o inicio da fermentação). A produção normalmente é bem pequena e este vinho passa por envelhecimento em barricas de carvalho (às vezes de diferentes tipos) e também na própria garrafa antes de serem colocados à venda. Enfim, são vinhos mais exclusivos e também mais caros.

Vinhos da região de Bordeaux e Borgonha na França, Brunellos de Montalcino e Barolos na Itália, são exemplos.

Estes vinhos mais "especiais" tendem a evoluir com o tempo alcançando seu auge alguns anos depois de sua vinificação. Este tempo varia muito, indo de alguns anos (5, 10 ou 25) ate 100 ou mais anos. São vinhos caríssimos e não acessíveis facilmente. Estes vinhos são vendidos normalmente em leilões em grandes casas na Europa e nos Estados Unidos. Algumas safras podem alcançar preços como algumas centenas de dólares até milhares. Enfim, deixam de ser "apenas" vinho e se tornam objeto de desejo de colecionadores.

Ha alguns anos, um vinho que supostamente que pertenceu a Thomas Jefferson (safra de 1787) foi vendido em um leilão na Christie's de Londres por U$156.000,00.

Isto não quer dizer que não possamos "guardar" alguns vinhos e desfrutar de sua evolução. Há também vinhos "normais" a preços muitas vezes acessíveis que podem evoluir e nos propiciar algumas surpresas.

Fiz uma experiência com um Cartuxa português, safra 2001 e gostei do resultado. Recentemente repeti a experiência com outro português, um ACR reserva, safra 2004. Havia comprado duas garrafas e na primeira o vinho estava um pouco agressivo, com os taninos muito presentes (prendendo a boca). Guardei-o por um ano e o mesmo ficou bem mais macio.

Para poder evoluir, o vinho tem que ter o que se chama de estrutura para isto. Esta estrutura, como disse acima, tem a ver com todo o processo de obtê-lo e que varia muito de vinho para vinho.

Para ter acesso a vinhos de guarda sem ser milionario, a fonte são lojas especializadas, revistas, sites, etc... Procure se informar e quem sabe ao longo de alguns anos você não venha a ter algumas preciosidades em sua adega.
A propósito, o vinho da imagem é um Romanée Conti (te lembra alguma coisa? :))), vinho de guarda e bem caro: Preço da garrafa safra 2004: R$ 10.980,00!




4 comentários:

  1. Muito elucidativo. Ótimo para leigos como eu.

    ResponderExcluir
  2. Ótimo! Gostei muito...

    ResponderExcluir
  3. tenho alguns vinhosnegostaria de saber o valor dos mesmos. Por exemplo: Barolo Terre - Itália 1998, Henry Largade - Argentina -2007; Tenho 37 vinhos e gortaria de vendê-los. Meu email. luciamartins_1@hotmail.com

    ResponderExcluir